terça-feira, 26 de maio de 2015

Eu e o vento



Na euforia do vento,
atrevo-me- transcender.
Quero juntar-me ao som
ao movimento,
quando envereda
túneis e alamedas
por entre a mata ciliar.

Soar, ressoar
Somado ao rumor do rio.

Transportar folhas,
flores e cores,
sementes,
à terra úmida
a esperar.


Peço desculpas por estar reeditando algumas  postagens. Estou cuidando de minha mãe, logo  estarei de volta.  bjs.

sábado, 9 de maio de 2015

Passarada




Me agarro  ao pé de uma árvore qualquer,
 se é que existe uma árvore qualquer,
 pois acho que não,
  toda árvore é mais que um pé.
é sintonia e sinfonia
é ausência de solidão,
esteja onde estiver.

E eu me escondo e me encontro
atrás de um pé de Jamelão.
  Pássaros que vêm e que vão
Alguém passou
 acelerado
pra assustar e afugentar.
Mas eu não!

Para a  alegria das formigas,
Eu ficaria por  uma tarde
encostada à árvore.
É que em mim está
essa fração de pássaro
quando penso em liberdade.

 Me alegra que se fartem
na festa das manhãs de sol
 quando  os meus olhos, 
enchem minha alma  de voos.



Lourdinha Vilela




domingo, 3 de maio de 2015

Agonia das Rosas


Imagem retirada da Internet.



Suaves movimentos
Saboreando o sol,
Rosa e botão
Namorando o vento.

Rosa, a menina,
 plantou
tanto amor por suas rosas
seu nome tomou

Sonho fecundo
transformar amor em adubo
e da terra esperar
o presente oriundo

Agora o momento!
tormento e vontade
Rosa querendo,
 o fruto do amor, rosa e botão.
Impulso do crime
paixão

Rosa e a tesoura
tesoura e a rosa
tesoura e botão
Rosa correndo
o presente nas mãos
sangue verde
verde emoção

E agora 
o vento e a roseira
como no adeus - Solidão...

Sobre a mesa da sala
vaso em cristal
água fria, fria,
alimento final

Rosa contempla
Sem movimento
Sem o brilho do sol
namoro do vento.

Dias de dor.
Ritual.
Pétalas caídas
botões ambíguos
Terminal.

Lá fora 
Rosa e a roseira
Terra, sol e vento
Espera e momento...

 Eis que surge um botão!
e da Natureza 
O perdão.

Lourdinha Vilela 


foto Lú

Muitas das minha queridas amigas seguidoras  conhecem esse poema, outras ainda não, resolvi então
trazê-lo  de volta.
Me recordo agora que foi um dos meus primeiro poemas, lá no    Expresso do Interior..
.
Eu particularmente gosto muito por que escrevi com muita emoção.
Beijos e um lindo e abençoado domingo .










.